Siga-nos

Jogos e Resultados

Guarani sai na frente, recua e com pênalti inexistente toma o empate no último minuto

Publicado

em

Empate em casa com o Vila Nova - 1x1. Foto: Marcos Ortiz - Planeta Guarani.

Era jogo em casa, era a chance de vencer, encostar no G4 e abrir uma distância considerável em relação à parte de baixo da tabela. Hora do Bugre colher os frutos da vitória conquistada fora de casa no meio da semana e se estabilizar na Série B do Campeonato Brasileiro.

No início do jogo a escalação foi divulgada, ao invés de um time com Bruno Mendes e Anselmo Ramon, a decisão de Umberto Louzer foi repetir o mesmo sistema de jogo da última partida e o time que precisava vencer entrou em campo com três volantes.

O Bugre iniciou a partida com Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Edson Silva e Pará; Baraka, Ricardinho, Denner e Guilherme, Rafael Longuine e Bruno Mendes e assim ele praticamente perdeu todo o primeiro tempo de jogo sem conseguir criar muitas oportunidades ofensivas.

Dentro de Campo

Apesar da posse de bola e de mais atitude ofensiva, o Guarani levava sustos lá atrás, tanto que a primeira oportunidade de gol foi do Vila Nova e logo aos 04 minutos. Philipe Maia cometeu falta pela direita, quase no bico da grande área, na cobrança Alan Mineiro bateu de direita buscando o canto esquerdo de Bruno Brígido que bem colocado deu um tapa por cima do gol e na cobrança do escanteio faltou muito pouco pro Vila Nova abrir o placar.

A zaga do Bugre cortou, mas Alan Mineiro pegou o rebote ma direita e cruzou para a grande área, Edson Silva não subiu e a bola chegou para Wesley Matos dentro da pequena área,mas pra sorte do Bugre ele tocou na bola e ela subiu, saindo por cima do gol do Guarani. Um susto.

Chegar mesmo o Guarani só foi conseguir aos 10 minutos quando Lenon desceu bem pela direita e fez o cruzamento para Bruno Mendes, o atacante Bugrino se antecipou à zaga e desviou a bola, Guilherme chegava no segundo pau, mas não alcançou a bola e ela saiu pela linha de fundo.

A partir daí o que se viu foi um time burocrático em campo, tocando bola, chegando ao campo ofensivo, mas não tendo nenhuma objetividade, contra um Vila Nova muito recuado, o Bugre não conseguia furar a retranca.

O jogo era muito ruim. Aos 37 minutos Vinícius Leite do Vila Nova sentiu-se mal, ele dividiu uma bola de cabeça com Edson Silva e levou a pior, precisou de atendimento médico. O jogador reclamava de tonturas, foi levado até a ambulância, recebeu atendimento e teve que deixar o Brinco de Ouro até um hospital para receber atendimento mais especializado.

Inexpressivo no campo de ataque, o Guarani via o Vila Nova chegar com perigo e aos 39 minutos Alan Mineiro tocou para Maguinho na entrada da grande área, ele chegou batendo colocado e a bola saiu com muito perigo, à direita de Bruno Brígido, assustando mais uma vez.

Só então o Guarani levou real perigo ao gol adversário, Apenas aos 41 minutos quando Rafael Longuine fez a jogada pela direita e cruzou par aa grande áre,a a zaga do Vila Nova cortou, mas o rebote caiu no pé de Guilherme dentro da grande área pela direita ele bateu de primeira buscando o ângulo direito, mas a bola saiu raspando a trave, levando muito perigo.

E assim, sob vaias, o time deixou o campo para o intervalo da partida. O Torcedor esperava mais e restava a expectativa de que a equipe voltasse modificada para a segunda etapa.

A mudança veio, talvez não a esperada. Umberto sacou Denner e colocou Caíque em seu lugar, ao menos o Bugre passava a contar com dois atacantes de ofício, um aberto, outro centralizado, e com isso o time melhorou.

Logo aos 04 minutos Bruno Mendes arrancou pela esquerda, invadiu a grande área e bateu, mas o chute saiu em cima do goleiro Mateus Pasinato que, em dois tempos, fez a defesa.E pra quem passou a primeira etapa inteira esperando o Bugre atacar, no segundo tempo viu, logo aos 06 minutos a segunda oportunidade, desta vez a bola foi levantada para a grande área, a defesa tentou cortar e ela ficou viva, Rafael Longuine chegou pra bater e quando iria foi atingido pela sola der Manguinho, foi pênalti, mas o árbitro (capítulo a parte na partida) preferiu marcar lance perigoso e deu falta em dois lances pro Bugre na grande área prejudicando o Bugre. Na cobrança o Guarani não conseguiu aproveitar a oportunidade de abrir o placar.

Aos 14 minutos Umberto fez sua segunda mudança, saiu Guilherme, depois de uma atuação bastante apagada, pra entrada de Anselmo Ramon.

Aos 18 minutos o Bugre teve outro lance duvidoso dentro da grande área, a bola foi cruzada da direita e Bruno Mendes foi derrubado por Wesley Matos, o atacante Bugrino reclamou muito no lance, mas o árbitro mais uma vez não deu. Após a jogada os dois jogadores discutiram muito dentro da área.

Aos 19 minutos utra boa chance do Guarani, Rafael Longuine arriscou o chute de longe e a bola saiu raspando o ângulo de Mateus Pasinato, no minuto seguinte Longuine outra vez quase marcou, Anselmo Ramon fez um belo lançamento para Longuine dentro da grande área, ele chegou em velocidade e cabeceou buscando o canto direito, mas o goleiro Mateus Pasinato fez uma grande defesa, no rebote o zagueiro conseguiu jogar a bola para escanteio e evitando o primeiro do Bugre quando Longuine tentava tocar para o gol no rebote do goleiro, quase em cima da linha.

Depois de Mateus Pasinato salvar o Vila Nova foi a vez de Bruno Brígido salvar o Guarani. Aos 25 minutos Pará foi sair jogado e errou totalmente, dando a bola de presente para Felipe Silva, ele invadiu a grande área pela direita, se enrolou com a bola, mas conseguiu tocar para Mateus Anderson, Bruno Brígido já havia saído do gol e conseguiu, no abafa, fazer a defesa e evitar o gol do Vila Nova.

Aos 30 minutos a postura ofensiva do time na segunda etapa finalmente foi premiada. Jogada pela direita, a bola foi levantada para a grande área, a defesa do Vila Nova cortou e Ricardinho apareceu no rebote, fora da área sem deixar a bola cair ele acertou um lindo chute encobrindo o goleiro Mateus Pasinato e entrando no ângulo direito. Golaço de Ricardinho, o terceiro golaço do volante com a camisa Bugrina e finalmente o Guarani abria o placar no Brinco, Guarani 1×0 Vila Nova.

Como você leu na descrição do gol de Ricardinho o Bugre havia sido premiado pela melhor postura ofensiva na segunda etapa, então, ganhando jogo por 1×0 o que fez o time, partiu pra ampliar o placar e definir o resultado? Não, recuou e perdeu todo o ímpeto diferente que havia demonstrado.

Aos 37 minutos a decisão de segurar o placar de 1×0 ficou mais clara quando Umberto tirou Rafael Longuine para a entrada do volante Willian Oliveira.

E com o espaço dado pelo Guarani o Vila Nova voltou a assustar, aos 42 minutos Felipe Silva cruzou para Mateus Anderson, ele chegou batendo de primeira, a bola desviou em Felipe Maia e saiu raspando a trave esquerda de Bruno Brígido que já estava batido.

O árbitro deu 05 minutos de acréscimos e sabe quando você fica com aquela sensação estranha de filme repetido? Pois é… aos 48 minutos após cobrança de escanteio pela esquerda o Vila Nova pegou o rebote e a bola foi lançada dentro da grande área para Juninho, Caíque chegou na marcação e o meia adversário se jogou dentro da grande área. o mesmo árbitro que não viu as penalidades em cima de Rafael Longuine e Bruno Mendes não pensou duas vezes, correu para a marca do pênalti apitando penalidade máxima pro Vila Nova.

Prejudicado pela arbitragem e depois de muita reclamação dos jogadores Bugrinos, aos 50 minutos Alex Henrique correu para a bola e bateu no canto esquerdo de Bruno Brígido que caiu para o canto direito. Guarani 1×1 Vila Nova e nem deu tempo de sair com a bola no meio de campo, o jogo estava encerrado.

Muita reclamação dentro de campo e Torcedores Bugrinos bastante exaltados fora dele reclamando do Sr. Alexandre Vargas Tavares de Jesus e também do técnico Umberto Louzer pela vitória mais uma vez desperdiçada no último minuto do jogo.

De concreto só que o Guarani estava conseguindo uma importante vitória que faria a equipe encostar muito no G4 da Série B e acabou frustrado vendo o Vila Nova empatar no último lance da partida, um banho de água fria na equipe e na Torcida.

Fica a lição, recuar tentando segurar resultado magro de 1×0 em casa com mais de 15 minutos de bola pra rolar pode trazer exatamente este resultado.

Antes de finalizar, nota zero para o árbitro do jogo que erou marcando jogo perigoso sobre Longuine e não marcando uma penalidade em Bruno mendes, mas não pensou duas vezes quando viu o jogador do Vila Nova dobrando as pernas dentro da grande área e marcou pênalti que, no mínimo foi muito duvidoso, mas que, vendo com calma no replay pela televisão, não aconteceu.

Agora o Bugre volta a campo às 21:00 da próxima quinta feira, outra vez no Brinco de Ouro da Princesa.

 

Marcos Ortiz

Advertisement

Melhores Momentos – Londrina 1×2 Guarani


	
	
	

Clique para ativar o som

Próxima partida

Campeonato Brasileiro - Série B

Sampaio Corrêa-MA X Guarani FC

Campeonato Brasileiro - Série B

Local: Estádio Castelão
Data: 18/08/2018
Horário: 19:15

 

+ Recentes

Jogos e Resultados

Copyright © Planeta Guarani - Todos os Direitos Reservados - Permitida Divulgação Apenas com Preservação da Fonte - Desenvolvido por: OZ Sites.