Uma despedida honrosa de um ano positivo, com lições aprendidas e outras a aprender. Parabéns ao Guarani FC!

Uma despedida honrosa de um ano positivo, com lições aprendidas e outras a aprender. Parabéns ao Guarani FC!
Titulares e reservas na partida contra o Botafogo - Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC.
Clí­nica SOU

Terminou a Série B do Campeonato Brasileiro, infelizmente, para nós Bugrinos, sem o tão sonhado acesso, que chegou a ser tão próximo, tão real, logo após a goleada sobre o Avaí (que subiu, aliás), por 4×0 no Brinco, e tão distante pouco depois, após aderrotapra o Goiás (que também subiu), por 2×0, no mesmo Brinco de Ouro.

Em duas semanas, o Torcedor Bugrino viveu emoções tão distintas, saindo da euforia, à aceitação da realidade, mas é preciso destacar aqui o tamanho do desafio. Como vocês puderam observar, o Bugre teve, nas três últimas rodadas, confrontos contra três das equipes que subiram, o último, o Botafogo (já campeão, inclusive).

Contra o Botafogo, foi guerreiro, lutou bastante. O time estava muito mudado, mas manteve a estrutura tática, jogou os 15 últimos minutos do primeiro tempo, e todo o segundo tempo, com um jogador a menos, após a expulsão de Índio, e ainda assim, abriu o placar com Ronaldo Alves. Sofreu a virada, seguiu com um a menos e lá foi buscar o empate, agora com Lucão do Break. Fim de jogo no Engenhão, Botafogo 2×2 Guarani. Fechou dignamente sua participação na competição na sexta colocação.

Mas aqui é preciso destacar outros detalhes. Todos sabíamos da sequência perigosa de jogos na reta final da Série B. Todos fizemos nossos planejamentos, e sabíamos que era preciso chegar com certa gordura neste momento, como fez, por exemplo, o Coritiba, de futebol pobre,mas de resultados incontestáveis.

Quando é que o Guarani deixou o acesso escapar, foi na derrota para o Goiás? Não, não foi, foi ao longo das longas 38 rodadas, colecionando alguns resultados inesperados e, desperdiçando pontos importantes ao longo da caminhada. Teve o erro da arbitragem em Goiânia? Teve, mas ao final, faltaram quatro pontos para o Bugre encerrar na quarta colocação.

Pontos perdidos em casa

Dos 19 jogos que fez no Brinco, o Bugre venceu 10, empatou 5 e perdeu 4, vamos olhar de perto as partidas que o Bugre não venceu?

Guarani 1×1 Vitória – Rodada 1
Guarani 1×3 Náutico – Rodada 3
Guarani 0x2 Coritiba – Rodada 7
Guarani 0x0 Sampaio Corrêa – Rodada 13
Guarani 1×4 Vila Nova – Rodada 15
Guarani 1×1 Botafogo – Rodada 18
Guarani 1×1 Cruzeiro – Rodada 27
Guarani 1×2 Confiança – Rodada 31
Guarani 0x2 Goiás – Rodada 37

É uma conta simples, e nem precisamos buscar resultados desperdiçados fora de casa como CSA no primeiro turno, Vitória, CRB e Vila Nova no returno, por exemplo. Vamos focar apenas nos jogos em casa, e observar que, em casa, o Guarani perdeu dois confrontos diretos dos quatro que teve, empatou 1 e ganhou 1, ou seja, quando era preciso brigar pra tomar pontos de concorrentes direitos,o Bugre perdeu 8 dos 12 pontos que disputou no Brinco de Ouro.

Mais aprofundadamente, precisamos destacar que Vitória e Confiança, dois dos times rebaixados, tomaram 5 importantes pontos do Bugre no Brinco. Qual foi a diferença para o quarto colocado mesmo? Quatro pontos…

Sobraram os jogos contra os que não brigaram por nada, ou que escaparam do rebaixamento, casos de Náutico (D), Sampaio Corrêa (E), Vila Nova (D), Cruzeiro (E), e lá se vão mais 9 pontos.

Então meus amigos, como tudo nesta vida é um processo de aprendizado, a gente aprendeu a receita pra brigar pelo acesso, e comemorou muito, e fez muita festa, e sonhou alto com essa receita de salários em dia, reestruturação de departamentos, estrutura e logísticas para treinos e viagens, a presença de um Presidente discreto, que não namora com os holofotes, prefere a sala de trabalho, e, por que não, a presença de um Superintendente de Futebol que não acerta todas, mas ninguém acerta, e, reconhecidamente, acerta em pontos importantes.

Some-se a isso um treinador jovem, com sonhos, ambições, e uma carreira toda a construir, e acreditem, Daniel Paulista estará, em alguns anos, entre os treinadores de maior destaque do futebol brasileiro, Vai evoluir muito, aliás, evoluiu muito no próprio Guarani.

A receita está ai, manter, se não todos os nomes, toda a mesma estrutura de trabalho, e, em 2022 entender que vitórias desperdiçadas são irrecuperáveis. Não, o Guarani não deixou de subir porque perdeu para o Goiás, ou para o Confiança, ou porque foi roubado em Goiânia, ou porque deixou o CRB empatar depois de estar vencendo por 2×0. O Guarani deixou de subir ao longo das 38 rodadas, com estes resultados diluídos por elas todas.

Resta o que? Jogar tudo fora? Pelo contrário, manter o máximo possível, reforçar o máximo possível, e aprender que qualquer uma das 38 rodadas valem os mesmos três pontos das duas ou três últimas. E a gente vai aprender, podem ter certeza disso!

Parabéns ao Guarani FC, parabéns aos seus gestores pela seriedade do trabalho, parabéns aos seus diretores, remunerados ou não, e parabéns a todos que fizeram parte do departamento de futebol profissional. Temos muito mais a comemorar do que a lamentar, apesar de lamentarmos muito a não concretização do acesso.

Marcos Ortiz