Guarani 1×1 Vila Nova – Mais uma decepção dos “Pequeninos do Bugre” em casa

Guarani 1×1 Vila Nova – Mais uma decepção dos “Pequeninos do Bugre” em casa
Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC.
Clí­nica SOU

Tudo caminhava para os três pontos em casa,mesmo com um futebol longe dos melhores,o Guarani vencia o Vila Nova por 1×0 graças ao gol de Lucão do Break aos 30 minutos do primeiro tempo e finalmente o jejum de vitórias parecia chegar ao fim,mas acredito que nenhum Torcedor Bugrino, sejam os presentes ao Brinco ou aqueles que acompanhavam a partida pelo rádio ou TV conseguiam ter certeza disso antes do apito final do árbitro.

O clima era tenso nos minutos finais, o Guarani já bastante mexido com as alterações perdeu as poucas virtudes que tinha em campo e o Vila Nova a toda oportunidade que tinha jogava a bola pra grande área e o Bugre cumpriu sua vocação nesta Série B, a de errar e decepcionar.

Bola levantada pra grande área aos 48 minutos do segundo tempo, jogada dividida e a bola se ofereceu nos pés do zagueiro Ronaldo Alves que errou feio (e vinha fazendo uma boa partida até então), com isso o atacante Rubens dominou a bola na cara de Kozlinski que como último recurso cometeu o pênalti. A aflição do Torcedor tinha razão e motivo,a incompetência do Guarani salta aos olhos.

Aos 50 minutos Kozlinski até caiu pro canto certo, mas a cobrança de Arthur Rezende foi perfeita, rente à trave direita e lá se foi mais uma vitória pelo ralo.

Todo mundo tenta achar palavras para este momento do Guarani, mas ninguém de verdade tem. Estamos pagando o preço de uma sucessão de erros que vai colocando o Bugre cada vez mais num caminho que ainda não é, mas pode se tornar sem volta a qualquer momento. Final de jogo, 1×1 no placar e o time está sacramentado mais uma rodada na lanterna da Série B.

Quais são os erros? Elenco curto, formado por jogadores de qualidade duvidosa, insistência na escalação ou nas substituições com atletas que não agregam, não desempenham e um time pensando ter um DNA ofensivo que não existe, engessado no arrogante esquema 4-3-3 cuja única jogada treinada é chutão pro campo de ataque pro centroavante escorar e rezar pra bola cair no pé de alguém do Guarani. Era assim com Daniel Paulista, foi assim com Ben Hur Moreira e segue assim com Marcelo Chamusca, que pena, o Guarani segue fazendo tudo igual e tentando ter resultados diferentes.

O que mais me chama a atenção é que os discursos nas entrevistas parecem a repetição de um mantra pré ensaiado: “O Guarani não merece estar nessa situação, nosso grupo é pra estar lá em cima”, dizem eles. “Esse time é muito ruim, não consegue ganhar de ninguém” dizem os Torcedores, e quem está com a razão, afinal?

Este time do Guarani não tem DNA ofensivo, este time tem DNA, assinatura e digital do Sr. Michel Alves e infelizmente está contando com o aval do presidente Ricardo Moisés e de todo o Conselho de Administração do Guarani FC que até hoje comemoram o fato de terem sido eliminados pelo Corinthians nas penalidades nas quartas de final do Paulista, simplesmente fechando os olhos pro fato de o time ter lutando contra o rebaixamento até o final da competição e se classificado graças à incompetência de Inter de Limeira e Água Santa.

Na sua entrevista coletiva Marcelo Chamusca se isentou de qualquer culpa ou responsabilidade afirmando que “treinador é só um facilitador” e que “não tem participação nenhuma dentro de campo, ou seja, transferiu a responsabilidade para o seu elenco, e em certo tom ele não deixa de ter razão porque quantas vezes dissemos aqui que por mais que errasse, Daniel Paulista não tinha perdido nenhum gole não tinha falhado em nenhum lance defensivo.

Mas mais do que isso Chamusca disse: “Se eu tivesse assumido o time em quarto lugar e ele tivesse caído para a lanterna, tudo bem, mas quando eu cheguei o time já estava na zona do rebaixamento e não vencia fazia tempo”. É verdade, ele só se esqueceu que foi contratado pra fazer isso mudar,e nada mudou, ou melhor, mudou pra pior, porque nas mãos dele nas duas rodadas em que comandou a equipe ela se firmou na lanterna, antes era 18º, 17º…

É, o ambiente nos vestiários do Guarani não deverá ser muito bom hoje na reapresentação não, claro, isso se algum jogador ouviu a entrevista do treinador, mas será que eles ouvem? Acho que não… O time virou “Os Pequeninos do Bugre”, parecem jogadores Sub-15 que não conseguem controlar um jogo, segurar um resultado mesmo que o adversário seja só o 19º colocado, ou melhor,o time faz tudo enquanto está em campo, menos jogar futebol.

“O Guarani é muito melhor do que em 2020 e será muito melhor do que em 2021 na temporada 2022, eu tenho certeza, em todos os setores do clube e em seus departamentos” dizia Michel Alves no início do ano.

A realidade: Lanterna, futebol ruim, elenco mal montado, sem reforços necessários desde o início da temporada. Realmente o Guarani é muito “diferente” em 2022,mas quem tem culpa disso? Chamusca não tem, Michel Alves não tem? Ricardo Moisés não tem? Vai ver que a culpa é da Torcida.

Marcos Ortiz