Guarani 0x3 Operário – O que o Guarani quer na Série B? Tá esperando o que?

Guarani 0x3 Operário – O que o Guarani quer na Série B? Tá esperando o que?
Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC.
Clí­nica SOU

Já se passaram dois dias da partida contra o Operário-PR, mais uma cacetada no Torcedor Bugrino e mais uma vez dentro de casa. O Bugre vem transformando aliados em inimigos na Série B de 2022 e eu me pergunto como um time que absolutamente não consegue vencer jogos nem mesmo jogando em casa quer ter o Torcedor como seu aliado.

Sinceramente não vale a pena falar de lances da partida, de erros, de equívocos. Prefiro falar de postura e custo x benefício e posso até cometer injustiças aqui, mas preciso falar. Muita gente tem dito que o Guarani jogou melhor, que teve alguma organização e que o resultado foi consequência de um time que saiu pra buscar o empate mesmo tendo um jogador a menos em campo. Discordo, o único time que conseguiu impor seu planejamento em campo foi o Operário.

Conseguiu um gol na primeira etapa praticamente na única oportunidade que criou, voltou pro segundo tempo, errou, cometeu um pênalti, seu goleiro defendeu a cobrança de Giovanni Augusto que depois explodiu no travessão e o Operário seguiu no seu plano de jogo, se fechar e jogar por uma bola, o que não é difícil quando o adversário é o Guarani, um time que tem muita dificuldade, pra não dizer que não tem capacidade de propor o jogo, e erra demais.

Quer mais um exemplo de que o Operário se impôs? Aos 14 minutos do 2º tempo Diogo Matheus foi expulso num rápido contra ataque pela esquerda Diogo Matheus trocou o gol certo pelo cartão vermelho, o placar seguiu 1×0, mas a dificuldade de jogar com um a menos tornou o desafio ainda maior, principalmente porque o adversário não mudou seu plano de jogo, diminuiu o espaço no campo defensivo, sabia que o Guarani erraria e apostou nisso até conseguir sucesso, e conseguiu mais duas vezes.

O Operário jogou por uma bola mesmo depois de ter acertado a bola, teve a chance de marcar de novo numa falta que explodiu no travessão e depois teve mais dois gols em rápidos contra ataques doados pelo Bugre. Quem se impôs em campo? Qual proposta venceu? A de não ter a bola, mas ter compactação e velocidade, ou a de ter três atacantes inoperantes em campo e um meio de campo que não cria nada?

Mas a pergunta que fica é: O que o Guarani quer na competição? Se quiser ser rebaixado a cartilha está correta, está investindo num treinador que está vivendo um momento decadente na sua carreira e que já chegou a dizer que não tem culpa nenhuma, afinal chegou com o time já no Z4, mas Chamusca despreza um dado importante, ele assumiu o time três jogos atrás vindo de uma sequência de empates, e em três jogos perdeu dois e empatou um. O que isso significa? O melhor de Chamusca até aqui só conseguiu manter o melhor do Guarani até sua chegada, e como o time piorou nas suas mãos, a equipe que tinha apenas uma derrota sofreu duas sob seu comando.

O que o Guarani quer na Série B? Manter o nível? Se mantiver Chamusca poderá pagar o preço de manter a queda do pouco aproveitamento que tinha…

O que resta ao Guarani? Resta ao Bugre se espelhar em exemplos recentes que enfrentou como Tombense, Sampaio Corrêa, Vila Nova e Operário, assumir humildemente que sua vocação é apenas escapar do rebaixamento tentando ganhar por 1×0 e correndo o risco de fazer mais de um gol nas vitórias que conseguir, porque manteve o padrão de jogar por uma bola até o fim da partida, e o jogo contra o Operário nos mostrou que podem existir várias “uma bola na partida”.

Se quiser tentar é preciso mudar, jogar como time pequeno pra obter resultados pequenos, mas que neste momento podem trazer um grande feito: Evitar um rebaixamento. Desça do pedestal Guarani e mostre ao seu Torcedor primeiro que você consegue representá-lo em campo, quem sabe com isso um dia o Torcedor volte ao estádio e acredite no seu time, sem isso ele estará cada dia mais distante, até desaparecer completamente.

E antes que eu me esqueça, todos esses erros ai estão na conta de quem montou elenco, contratou treinador e jogador. É o presidente? É também, mas o “presidente do futebol do Guarani” tem nome, é Michel Alves.

E vamos nós pra madrugada das 11:00 de domingo enfrentar o Novorizontino em Novo Horizonte. Aliás, foi exatamente em Novo Horizonte, jogando como time pequeno em busca do resultado que o Guarani começou a escapar do rebaixamento no Paulistão 2022. Nunca é tarde…

Marcos Ortiz