Londrina 3×1 Guarani, uma derrota dolorida que trouxe as demissões de Michel Alves e Chamusca

Londrina 3×1 Guarani, uma derrota dolorida que trouxe as demissões de Michel Alves e Chamusca
Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC.
Clí­nica SOU

Foi preciso mais uma derrota, o Torcedor do Guarani precisou sangrar muito na 14ª rodada em Londrina ao ser humilhado em campo por um adversário extremamente fraco e ser derrotado por 3×1 na sexta partida de Marcelo Chamusca comandando a equipe para que o Guarni enxergasse a raiz dos seus problemas. Enxergou tarde? Pode ser, mas enxergou, e agora é o momento de não cometer novos erros, não há mais tempo.

No início da tarde deste sábado (25) o clube emitiu uma nota comunicando o desligamento de Marcelo Chamusca, seu auxiliar Caio Autuori e do preparador de goleiros Silvano Austrália, mas o principal desligamento comunicado foi de Michel Alves, Superintendente de Futebol.

Marcelo Chamusca

Marcelo Chamusca e Caio Autuori foram anunciados há pouco mais de um mês,no dia 18 de maio. A dupla comandou a equipe em seis jogos obtendo uma vitória, três derrotas e dois empates, tendo disputado três jogos em casa e conquistado apenas dois pontos nos empates com Vila Nova e CSA. Jogando no Brinco de Ouro a equipe conseguiu marcar apenas dois gols nestas duas partidas.

Em seis partidas o Guarani marcou 05 gols e sofreu 10 com destaques negativos para as derrotas Guarani 0x3 Operário e Londrina 3×1 Guarani. O trabalho em nenhum momento sequer aproximou o Guarani de deixar a zona de rebaixamento na competição, culminando com a derrota na noite passada que deixou o Guarani na penúltima colocação na Série B do Campeonato Brasileiro.

Michel Alves

O Superintendente de Futebol chegou ao clube no final de novembro de 2019 quando o Guarani,então comandado por Thiago Carpini terminava a campanha da Série B evitando o rebaixamento num forte trabalho de recuperação e não participou daquele momento. EM 2020 ele comandou a montagem do time que não se classificou à segunda fase do Campeonato Paulista e também montou a equipe que brigou contra o rebaixamento até a chegada do técnico Felipe Conceição. Naquela ocasião, como agora,o Guarani precisou trocar três treinadores para enfim reagir, começou a Série B com Thiago Carpini, depois teve a curta passagem de Ricardo Catalá e só na terceira tentativa conseguiu encontrar seu rumo.

Em 2021 Michel Alves montou o elenco comandado por Allan Aal que chegou às quartas de final do Paulistão, mas acabou eliminado nas penalidades pelo Mirassol, resultado que culminou com o desligamento do então treinador. Seu principal momento veio na campanha da Série B de 2021 quando Daniel Paulista assumiu a equipe e levou o Guarani à sexta colocação, insuficiente porém para o acesso. No último Campeonato Paulista não conseguindo manter a base do elenco anterior, Michel Alves passou a ser muito criticado. O Guarani lutou contra o rebaixamento até a penúltima rodada do Paulistão, acabou se classificando para a segunda fase e foi eliminado pelo Corinthians também nas penalidades, Michel Alves apostou em contratações que considerou pontuais.

A aposta não deu resultado e pela terceira vez em seis competições sob seu comando, o futebol Bugrino se vê sob risco de rebaixamento (Brasileiro de 2020, Paulista de 2021 e a atual Série B do Brasileiro), as exceções foram o Paulista de 2020, onde mesmo não se classificando a equipe não correu riscos,o Paulista de 2021 e a Série B de 2021.

Próximos passos

O clube não informou o desligamento de Ben Hur Moreira, auxiliar fixo da diretoria, e tudo indica que ele assumirá novamente o comando interino até que o nome do novo treinador seja anunciado. Ben Hur Moreira comandou a equipe por três jogos após a saída de Daniel Paulista e somou três empates (0x0 no Dérbi, 1×1 contra o Tombense e 0x0 com o Vasco da Gama).

Agora resta ao Torcedor Bugrino aguardar pela definição do substituto, lembrando que o Guarani não tem mais tempo para erros, o novo comandante e o futuro homem forte do futebol precisam chegar com grande aceitação, conceitos fortes e capacidade para chacoalhar o vestiário Bugrino, dar à equipe enfim um padrão de jogo e principalmente atuarem na reformulação do elenco aguardada quando da abertura da janela de transferências em 18 de julho.

Se haverá tempo para reverter o rebaixamento, não sabemos, afinal o trabalho foi tão mal conduzido até aqui e os erros tão grandes que o Torcedor Bugrino precisará de uma boa sequência de resultados e boas notícias para voltar a acreditar ao menos na permanência na Série B para 2023.

Demorou, mas aconteceu!

Marcos Ortiz