Brinco de Ouro da Princesa, há 69 anos a nossa taba

Brinco de Ouro da Princesa, há 69 anos a nossa taba
Visão do Estádio Brinco de Ouro da Princesa em 2021. Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC.
Clí­nica SOU

Inaugurado no dia 31 de maio de 1953 na partida amistosa Guarani 3×1 Palmeiras,sob a presidência do Bugrino Ruy Vicente de Mello, o estádio Brinco de Ouro Princesa completa nesta terça-feira (31) 69 anos de uma história cheia de orgulho que na verdade se iniciou em 1947.

Visionários, como da tradição Bugrina, em 1947 quando da criação da profissionalização nossos dirigentes enxergaram que o saudoso Estádio do Guarani FC, o popular “Pastinho” seria pequeno para aquilo que o Bugre profissional se transformaria e iniciaram o projeto da construção do novo estádio.

À época fruto de muito debate, o local escolhido não agrava muito os Bugrinos pois a antiga Baixada do Proença tratava-sede uma área que necessitava de drenagem e era considerada distante para a Campinas de 1948 quando o negócio com a área foi concluído. Nada que o empenho e dedicação de abnegados preocupados única e exclusivamente com o engrandecimento do Guarani não pudesse transformarem realidade.

O nome surgiu também em 1948 e coube ao jornalista Bugrino João Caetano Monteiro Filho, então na redação do Jornal Correio Popular de Campinas, que ao receber a maquete apresentada pelos arquitetos Ícaro de Castro Melo e Osvaldo Correia Gonçalves estampou na manchete do jornal de 13 de julho: “Brinco de Ouro para a Princesa. Campinas então era conhecida como a Cidade Princesa D’Oeste. Os Torcedores da época abraçaram o nome e o estádio foi “batizado” Brinco de Ouro da Princesa.

Cinco anos depois lá estava o estádio em pé, ainda incompleto. Na inauguração o Brinco de Ouro da Princesa contava com as obras do setor das vitalícias e da “geralzinha” (hoje tobogã inferior) concluídas e arquibancadas de madeira nas suas duas cabeceiras, as madeiras eram as mesmas das arquibancadas do antigo “Pastinho”.

Na temporada seguinte o Bugre conquistaria seu acesso à elite do futebol Paulista conquistando o título da Divisão de Acesso de 1949, decisão disputada em 12 de fevereiro de 1950.

Em 1962 o estádio teve a cabeceira norte (placar) finalizada, em 1964 inaugurou seu sistema de iluminação e na década de 1970 a cabeceira sul, juntamente com os portões principais foi concluída, dando ao estádio uma capacidade aproximada de 33 mil lugares. Já o tobogã teve sua obra iniciada em 1978 logo após a conquista do Título de Campeão Brasileiro e foi concluído no início da década de 1980,deixando então o Brinco de Ouro na versão atual com capacidade para cerca de 50 mil lugares.

Palco de três partidas válidas por finais de Campeonatos Brasileiros (os segundos jogos de 1978 e 1986 e a primeira partida da final de 1987), além da final do Campeonato Paulista de 1988, o record de público veio em 14 de abril de 1982 na semifinal do Brasileiro quando 52002 pessoas assistiram Guarani x Flamengo. Em 1990 o Brinco de Ouro da Princesa ainda receberia a partida amistosa entre Brasil x Bulgária para um público de 51720 pessoas. Antes disso, ainda em 1966 a Seleção Brasileira já havia pisado no gramado do Brinco para disputar uma partida preparatória para a Copado Mundo diante de um combinado local.

Essa é a história da construção e do Estádio Brinco de Ouro da Princesa,uma herança construída por verdadeiros Bugrinos visionários e que, infelizmente, terá nos próximos anos o fim dos seus dias. Por enquanto, comemore Torcedor Bugrino, o Brinco de Ouro ainda é a Nossa Taba, construído com devoção e a nossa Família Bugrina tem raça e tradição!

Esta é uma homenagem pequena a todos os que participaram, frequentam ou frequentaram estas arquibancadas sagradas cujos nomes não caberiam em nenhuma postagem. Brinco de Ouro da Princesa,69 anos depois, ainda a Taba Bugrina.

Marcos Ortiz